Candangão 2019 começa em 26 de janeiro

Candangão 2019 começa em 26 de janeiro

06/11/2018 Off Por admin

Em Conselho Arbitral realizado na manhã desta segunda-feira (5), em uma galeteria localizada no Setor de Clubes Sul de Brasília, dirigentes de clubes e da Federação de Futebol do Distrito Federal (FFDF) aprovaram o regulamento e a tabela da 43ª edição da primeira divisão do Candangão.

A competição terá início em 26 de janeiro, com término previsto para dia 20 de abril. O formato da competição será o mesmo adotado em 2018. Na primeira fase, as 12 equipes participantes se enfrentam no sistema de pontos corridos, todas contra todas, apenas em partidas de ida, ao longo de 11 rodadas.

As oito equipes melhores colocadas na fase anterior disputam as quartas de final em partidas de ida e volta, no sistema de cruzamento olímpico: 8ºx1º, 7ºx2º, 6ºx3º e 5ºx4º. Já as duas piores colocadas serão rebaixadas para a divisão de acesso do ano seguinte.

As quatro equipes classificadas na fase anterior também se enfrentam nas semifinais em duelos de mata-mata, da seguinte forma: o vencedor do confronto 8ºx1º enfrenta quem passar do duelo 5ºx4. Por sua vez, o ganhador de embate 7ºx2 encara o vencedor do 6ºx3º.

As duas equipes classificadas nesta fase garantem vaga na grande decisão do Candangão. Além de disputarem o título da temporada, os finalistas conquistam vaga na Copa do Brasil, na Copa Verde e na Série D do Campeonato Brasileiro.

A decisão será disputada em dois jogos. Em caso de empate no placar agregado, o campeonato será decidido nos pênaltis.

CONFRONTOS DA PRIMEIRA RODADA
Dia 26 de janeiro de 2016

Sobradinho x Capital
Formosa x Taguatinga
Gama x Bolamense
Luziânia x Paracatu
Brasiliense x Santa Maria
Ceilândia x Real

O tão aguardado clássico envolvendo Gama e Brasiliense acontecerá na nona rodada. A partida será disputada no estádio Bezerrão, com mando do time alviverde.

Profissionais da imprensa esportiva acompanharam o arbitral. Foto: Haland Guilarde

HISTÓRIA DO CAMPEONATO BRASILIENSE
O Campeonato Brasiliense, que é disputado por clubes do Distrito Federal e Entorno, teve sua primeira edição realizada em 1959 – antes da inauguração de Brasília – e contou com a participação de dezenove equipes. Nessa época, a competição ainda era amadora. Dos clubes que disputaram a primeira edição do Campeonato, apenas o Clube de Regatas Guará continua ativo. O Grêmio Brasiliense foi o primeiro campeão do torneio. Outros times de destaque da época eram Defelê, Rabello e CEUB.

CANDANGÃO 1959 – ASSIBAN, AA Bancária, Brasil, Brasil Central, Brasília Palace, EC Brasília, EBE, Expansão, Grêmio Brasiliense, Guará, IPASE, Kosmos, Nacional-DF, Novo Horizonte, Pacheco Fernandes, Planalto, Rabello, Radium e AD Taguatinga

PROFISSIONALIZAÇÃO
A profissionalização da competição veio em 1976, com grande destaque para o Brasília, fundado um ano antes e que conquistou as três primeiras edições (1976, 1977 e 1978). O Colorado voltaria a ganhar outro tricampeonato em 1982, 1983 e 1984, além dos títulos de 1980 e 1987. Das equipes que disputaram a primeira edição profissional do Candangão, apenas Brasília, Gama e Guará continuam em atividade.

CANDANGÃO 1976 – Brasília, Canarinho, CEUB, Gama, Grêmio, Guará e Humaitá.

Outras duas forças do futebol local começavam a se despontar já naquele período: a Sociedade Esportiva do Gama, campeã em 1979, e o Taguatinga Esporte Clube, que ficou com o troféu do campeonato em 1981, foram os únicos times a superar a hegemonia do até então todo poderoso da época, o Brasília Esporte Clube.

Nos anos de 1985 e 1986 veio o bicampeonato do Sobradinho. As quatro edições seguintes (1987 a 1990) foram alternadas entre Brasília, Tiradentes, Taguatinga e Gama. Na sequência, o Taguatinga cravou o tricampeonato (1991, 1992 e 1993).

De 1994 a 2003, o grande bicho-papão do futebol de Brasília foi a Sociedade Esportiva do Gama, que levantou a taça oito vezes. Nas outras duas edições realizadas no período, o Periquito ficou com o vice-campeonato: perdeu em 1996 para o Guará e em 2002 para o CFZ.

Depois do meteoro gamanese, eis que surgia outra grande potência do futebol local, o Brasiliense Futebol Clube, que logo de cara enfileirou um hexacampeonato. De 2004 a 2009 só deu Jacaré.

De 2010 a 2018, os títulos do Candangão ficaram alternados entre cinco equipes: Ceilândia (2010 e 2012), Brasiliense (2011, 2013 e 2017), Luziânia (2014 e 2016), Gama (2015) e Sobradinho (2018).

Dos 12 times que disputarão o Candangão 2019, metade deles já chegou à final em pelo menos três oportunidades e ganhou a competição em no mínimo duas ocasiões.

O Gama lidera esse ranking, tendo disputado 18 finais, com 11 títulos. Em segundo lugar, o Brasiliense foi finalista em 13 oportunidades, com nove títulos. O Taguatinga, caso obtenha o direito de herdar o histórico de dez decisões do clube antigo com o mesmo nome, passa a ter cinco troféus. Em quarto lugar aparece o Sobradinho, que disputou a final em seis oportunidades e levantou o troféu três vezes. Na sequência aparece o Ceilândia, cinco vezes finalista e dono de duas conquistas. Por fim, o Luziânia que disputou a decisão três vezes e é dono de dois títulos.

De fora dessa lista existem, em atividade, apenas três equipes campeãs da principal divisão profissional do futebol do DF: Brasília (8 títulos – 1976, 1977, 1978, 1980, 1982, 1983, 1984, 1987), CFZ (1 título – 2002) e CR Guará (1 título – 1996). O Tiradentes também tem um título (1988). O rubro-negro, entretanto, encerrou suas atividades em 2001.

Considerando que o Gama acumula 38 participações no Candangão e 11 títulos, enquanto o Brasiliense tem 9 títulos em 18 participações, pode-se dizer que o Jacaré é o maior campeão proporcional da primeira divisão do Campeonato Brasiliense.

Bolamense, Capital, Formosa, Paracatu, Real e Santa Maria, todos com presença garantida na edição de 2019, jamais experimentaram o sabor de disputar uma decisão da primeira divisão do Candangão.

CLUBES PARTICIPANTES DO CANDANGÃO 2019
Bolamense, Brasiliense, Capital, Ceilândia, Formosa, Gama, Luziânia, Paracatu, Real, Santa Maria, Sobradinho e Taguatinga.

IMPRENSA ESPORTIVA
Os profissionais de imprensa interessados em fazer a cobertura ao vivo da competição devem procurar a Associação Brasiliense de Cronistas Desportivos (ABCD) e solicitar o credenciamento. Para mais detalhes, acesse a aba CREDENCIAMENTO 2019 na barra de menus acima, leia as Orientações e Normas de credenciamento, bem como o Protocolo de Imprensa da ABCD.

Por Jânio Gomes
Fotos: Haland Guilarde – Ascom/FFDF