PROTOCOLO DE IMPRENSA

O novo Protocolo de Imprensa para as equipes envolvidas na cobertura jornalística em jogos da Série A do Campeonato Brasileiro, implementado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), passou a entrar em vigor em 10 de setembro de 2014.

O modelo, desenvolvido com a participação da Associação dos Cronistas do Brasil (ACEB), vinha sendo adotado no Estado do Rio de Janeiro e foi estendido para todo o Brasil.

Basicamente, foi estabelecida norma única de procedimento para todos os estados, seja na entrada em campo das equipes, seja no trabalho de reportagem de campo.

Em conformidade com o referido Protocolo de Imprensa, a Associação Brasiliense de Cronistas Desportivos (ABCD) apresenta as novas normas que devem ser seguidas por todos os veículos e profissionais de imprensa interessados em cobrir jogos da Série A do Campeonato Brasileiro no Distrito Federal.

Visando a melhorar o atendimento à imprensa, a ABCD também poderá adotar os mesmos procedimentos para jogos de outras competições nacionais, como Série B, Copa Verde e Copa do Brasil.

Protocolo de Imprensa e acesso das equipes ao campo de jogo

Campeonato Brasileiro – Série A

1) Criação dos Supervisores de Protocolo. Sempre 2 supervisores por jogo: um para cuidar das questões de imprensa (em conjunto com a Associação Brasiliense de Cronistas desportivos), outro para cuidar das questões das equipes, como entrada em campo e outros itens.

2) Identificados 2 tipos de estádios: Arenas (MANÉ GARRINCHA) e Não Arenas (BEZERRÃO, SEREJÃO ETC).

3) Credenciamento será necessário jogo a jogo. Definidas 4 categorias:

Categoria 1: TVs Detentoras de Direitos
Vivo: 2 equipes por emissora (3 pessoas cada equipe) / entrevistas na beira do campo
ENG: Globo e Sportv (2 equipes); demais: 1 equipe / entrevistas após equipes vivo

Categoria 2: TVs não Detentoras de Direitos
1 equipe cada, com 2 pessoas (repórter e cinegrafista) / entrevistas só na zona mista e sala de imprensa

Categoria 3: Rádios
Máximo de 30 repórteres, 2 por emissora / posicionados atrás dos gols / entrevistas de intervalo e final ,em zona mista, na saída do campo (arenas) ou linha lateral (não arenas) após entrevistas das TVs ao vivo.

OBSERVAÇÕES PARA RÁDIOS:
– TÉCNICOS não ficarão mais em campo (em hipótese alguma).
– Em clássicos regionais ou estaduais, quando teremos várias emissoras de outros estados, existe a possibilidade de algumas emissoras entrarem com apenas um repórter (Lembrando que são sempre 30 repórteres por jogo).
– Prioridade entre os 30 repórteres será dada aos profissionais do Distrito Federal e das cidades envolvidas no jogo .

Categoria 4: Fotógrafos
Máximo de 30 // prioridade para os impressos do Distrito Federal e das cidades envolvidas no jogo.

OUTRAS SITUAÇÕES
1- Os veículos de comunicação deverão enviar os seus pedidos de credenciamento por partida, respeitando os prazos estabelecidos no item 3.

2 – Os pedidos de credenciamento devem ser encaminhados à Associação Brasiliense de Cronistas Desportivos, através de formulário específico a ser oportunamente disponibilizado no site da ABCD-DF (www.abcdesportes.com.br).

3 – O protocolo de imprensa da CBF estabelece que os pedidos de credenciamentos sejam encaminhados em até 48h antes de cada partida. A relação dos profissionais pré-credenciados será encaminhada à Federação Brasiliense de Futebol, a quem compete aprovar e/ou reprovar as solicitações e repassá-las à CBF.

4 – O envio da solicitação de credenciamento não garante a liberação da transmissão ou a cobertura da partida. Os pedidos aprovados serão publicados no site da ABCD até às 19h do dia anterior ao jogo.

5 – Finalizado o prazo para solicitação de credenciamento, a ABCD encaminhará a relação dos profissionais de imprensa credenciados à Federação Brasiliense de Futebol.

5 – O acesso ao estádio será permitido apenas aos jornalistas, radialistas e fotógrafos que tiverem o pré-credenciamento aprovado pela ABCD, ou seja, com nome na lista.

6 – Todos os profissionais pré-credenciados pela ABCD devem estar identificados com RG e, preferencialmente, com Carteira de Cronista Esportivo correspondente ao ano corrente (ABCD, ABRACE, ACEB ou ARFOC BRASIL).

7 – O acesso ao estacionamento reservado à imprensa pré-credenciada será pelo portão T  (ESTÁDIO MANÉ GARRINCHA). Por orientação dos órgãos de segurança, a entrada será liberada em até 2h (duas) antes do início do jogo.

Exemplos: Jogo agendado para começar às 16:h, o portão de acesso da imprensa será aberto a partir das 14h. Se o jogo for iniciar às 18h, a imprensa terá acesso a partir das 16h.

8 – Os coletes e pulseiras de credenciamento serão entregues no portão 05 (área interna do estádio Mané Garrincha). O tempo de tolerância para retirada de pulseiras e coletes será encerrado no mesmo horário previsto para o início do jogo. Os profissionais que chegarem após o horário estabelecido não terão acesso ao estádio.

9 -Não é permitido fumar no gramado e nas cabines de rádio e televisão.

10 – Não é permitido o uso de bermuda ou short para profissionais em serviço na área que circunda o campo de jogo.

11 – Equipes de reportagem não podem fornecer informações aos jogadores e técnicos sobre lances polêmicos.

12 – Jornalistas de impresso e sites ficarão na Tribuna, sem acesso ao campo. Terão acesso à zona mista, ao final do jogo.

13 – Jogadores escalados para o início do jogo não podem ser entrevistados.

14 – Ao final do primeiro e do segundo tempos, os repórteres de rádio e TV devem se posicionar obrigatoriamente em área demarcada pelos fiscais da ABCD e pelo supervisor da CBF.

15 – Durante o jogo, os fotógrafos e repórteres de rádio devem se posicionar, obrigatoriamente, atrás dos gols, mediante orientação dos fiscais da ABCD e do supervisor da CBF.

Conforme o art.90-F, da Lei 12.395/2011, fica a prerrogativa de indeferir pedidos de profissionais que não estiverem escalados por seus respectivos veículos.

Normas em vigor desde o dia 10 de setembro de 2014.

Diretoria da ABCD.